quinta-feira, 25 de julho de 2013

Não lembra?

Algumas palavras pintadas de nada
após o último soneto romântico
dizem silêncios ruidosos
segredos que moram
há tempos nos corações
alguns desses vagueiam
por horas a fio
horas de eternidade
não sei como cabe tudo isso em um coração
como medir o eterno?
que eu me lembre não lembro de nada!

terça-feira, 23 de julho de 2013

Riscos pintados

Os riscos pintados lado a lado
couberam sementes nas folhas de papel
uma fecundação de letras
retratos traçados entre a tela e a tecla
da mente e o coração
o que sai da via
respiratória companhia
um filete da esfinge
ressoa a balança
aritmética dos nossos
exatos passos.

 

quarta-feira, 17 de julho de 2013

uma passada na rua

O olho do outro lado
do homem
observando por dentro
o lento
absorvendo o frio
da rua noturna vazia
naquela esquina a mulher de azul
dançava para nada e ninguém
o olho do homem não era
capaz de captá-la
nem por segundo de tempo
outro olho de longe
viu bem de perto
o corte na orelha dela
quanto fragmento de veneno
consta nas velhas contas passadas
afogadas de pó em pó
qualquer regresso revela
a volta
o revirado do estudo
dos atos
dos passos
no franzir da testa
largou definitivamente
os cigarros.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Amores anônimos

Recorda-se daquele dia
em que flores caídas
deixavam o perfume
no caminho?

Não pensa que esqueci!
ainda ontem beijei o ar
só para te amar
leve assim, simples.

As sonoridades das vogais
deixadas ecoando no espaço
solto pelos espasmos
dos nossos encontros carnais...

Rolava os dedos nos cachos
cabelos, pelos e entre.
Um convite? talvez!
Uma surpresa? Sempre!

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Amor é água!

Olha aquela pedra
que de tão dura 
não chora. 
Ame-a! 

Amor é água!

Todas as formas de amar

Ah! o que fazes de amor?
são fases do amor
a troca do toque
o riso na boca
que fazes tu ao amor?
dar num salto de largar
mil seres te esperam 
em mais de mil possibilidades
todas as formas de amar.

Uma pitada de flor trago para seu dia antes que anoiteça e o imprevisto de te querer me deixa só antes de mais nada só.