sábado, 27 de abril de 2013

Uma condição para a poética
que ela toque na alma
vibrando na pele!
Mas os dias estão tão cheios de mesma coisa
mesmo os mais tempestivos
tão comuns seus ventos
seus ritmos!
Impregnado está tudo de tudo mais...

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Lua cheia em escorpião

Lua cheia da vida agora
venenosa lua de fel
arranca o escorpião da alma
brilha impávida sobre a existência
mostra que nem todas as luas são mel!


sexta-feira, 19 de abril de 2013

A poesia no caminho

As poesias mais lindas
das dores humanas
do corte na alma
que atravessando a carne
acalma...
uma figura de longe
aproxima-se com seu rosto
a sensação do mesmo
invade novamente
borboletas no estômago
saltam pela garganta
e saem em festa pelo ar
da boca na boca.
os estranhos destinos de um só
no vão das possibilidades
desafiam a matemática
careta do dia-a-dia.
sem lastros
sem redes
a queda
entrega
é livre
contraria a toda segurança.
é na calmaria
é na tempestade
no cinza do dia
no azul de cada dia.
Na noite conhece a outra face.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

O congresso é espelho!

Um ponto no escuro
teu olho dissecando a razão
puramente estúpida desses dias
homens e mulheres
hostilizando-se
um coletivo da demência
pulsa, pulsa
no mínimo do dia
retarda a partida
a ação que liberta
de toda essa miséria
humanamente materializada
descartada em prateleiras
codificada em ondas
energia, tecnologia
patologias sociais
a podridão escancarada
de nós mesmos
o esgoto estourou
a fossa entupiu
nada mais que o medo
aceitar o que fizemos
o que fizemos mesmo?
Quem vota aqui no Brasil?
Que orgulho é esse de ser brasileiro?
O congresso é espelho!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

A flor

Do outro lado do rio
alguma coisa ficou para trás
o negativo gatilho da dor
arrancamos todas as pétalas 
mas o perfume ficou em nossas mãos
assim também os espinhos 
colorindo de sangue
manchando a inocência
despindo o vazio. 

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Marcas

Marcas da alma
atravessam a face
expressão dos olhos
quando choram ou riem.
Não se esconde mais
por todos os lados
em altos e baixos
nada voltará.
Uma sucessão de partidas
e corações partidos
mas quando voltar
terei que esperar.
Em noites de sonhos
entrego o destino em tuas mãos
mas sou eu quem decido
ao final ainda é o meio.
Como se os olhos ao primeiro contato
lembravam-se daquele outro tempo
que já há tempos esquecemos
um tanto de mim ficou em ti.
Hoje vou fugir daqui
não vou voltar pra ti
mas é só hoje
porque amanhã estarei nos teus braços.



quinta-feira, 4 de abril de 2013

Beijos da vida

Outro dia depois de ontem
um presente!
De repente acordo
para voltar a sonhar
é tanto brilho no olho
que ouso mirar o futuro!
Ousar!
É isso!
Novamente como fato,
e a dor volta a ser alegria
descansa em si...
volta a receber os beijos da vida.

Areia movediça

Quantos cristais caídos nos foram dados de longe do ar? Talvez despidos dos silêncios encarcerados por tempos dentro de outros tempos, dis...