sexta-feira, 28 de junho de 2013

Intensas lutas dos dias
das noites corridas por fora
por dentro um vazio 
faltava pão para satisfazer. 

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Nestes dias tão clichês
quanto dizer que amo você
intriga-me a dúvida
do tempo gasto
do teu lado
se agora é tão fácil
voltar para outros braços
tanto eu
quanto você
o tempo está se esgotando
aquele que foi prometido
numa manhã
talvez
fria demais.

sábado, 8 de junho de 2013

Planos de projeto feitos de ar

Meus dias são mais completos
se posso mudar
desfaço todos os projetos
planos são retos
paralelos
me contorço
em labirintos
do improviso
sinto o prazer da dúvida
e a angústia das certezas
contrario o contrário
exato dos teus passos
acho rasos
o que acho penso
não importa
se mudo
tudo ao redor dança
se não conseguir
dançar comigo
deixa a pista vazia
faço solo em minha companhia
uma reticência
perdida no projeto
me faz continuar
nessa exatidão que muda
transforma
troca as peças de lugar
volto sempre a criança
que no novo aprende a viver
sonhar sempre me faz renascer
sonhos não são projetos
é arte de fazer
acontecer
o que a alma pretende ser
nessa vivência
de constante
inconstância
que nada é tão certo
quanto nascer e morrer
e no meio desse processo
o meu é deixar viver
com portas abertas
janelas escancaradas
nada que prenda
pois borboleta que sou
pássaro que sou
vento que me liberta
transmuta em liberdade
o que amarra
num passado
feito de flores e algumas mágoas
já senti o deserto seco
depois úmido
chuvoso
nada tão constante
como constar que volta
ao mesmo lugar
dependendo dos giros
do planeta
não me deixo acorrentar
de nada que me queira presa
vim sem asas
mas posso voar.


Maria Santa

Dançava tão louca
na corda bamba
do destino
vestida de azul
toda refletida de brilho
ia embora e voltava
sempre a voar
cantarolando sílabas
inventadas no ar
conspirava com ele
junto do mundo
por conquistar
sentia por baixo
o frio dos dias
aquecia sozinha
o vazio de menina
horas passadas
em claro
resolvendo problemas
solucionando
o infinito
tão caótica
a vontade de viver
de emoções sem fim
com muito vermelho
intenso denso
sabia que um dia
acalmaria
maria
maria.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Whisky e cocaína

Aonde vai?
Tiraram a máscara
da cara
agora a hipocrisia
é escancarada!
Tá vendo o espelho?
reflexo do esgoto
do câncer nervoso
da merda cretina
quanta cocaína!
No país do "tudo pode"
estupra e assina
células no topo
do sucesso
em nome de Deus
vai criança
entra e degrada
a vida humana
mulher?
ah! me poupe
quando o esgoto
é "recalque"
uma hora explode
fede!
Whisky, bunda, cú, pau e buceta
pó estica
estica
refina
ui ela é gente fina
mas o moleque
de 14 anos
vai pra cadeia
quem sabe a pena de morte?
seria um deboche
se lá no EUA tem!
vamos voltar a queimar as bruxas?


terça-feira, 4 de junho de 2013

Bem menos bem mais

Bem menos teorias para o amor
bem mais ação para amar
bem menos dissecação da alma
bem mais alma e coração
bem menos razões
bem mais motivos
bem menos sonhos nublados
bem mais sonhos de sol
bem menos aperto por dentro
bem mais leveza de dentro
bem menos
bem mais! 

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Silêncio

Um dia resolvi silenciar
deixar as palavras ecoarem por dentro
no silêncio da resposta
no silêncio da pergunta
certezas
ofensas
dúvidas
elogios
promessas
juras
o teu silêncio foi resposta
conjugado com o meu
no passado mora
a saudade que deixei
de um tempo
que silenciei
o som da solidão
compartilho comigo meu próprio coração.

domingo, 2 de junho de 2013

Cobra

Um dia eu sonhei ser cobra
o veneno aguçado na boca
pronta para morder
fazer sofrer
doer de tanta dor!

Ser mestre no mistério
apertar o coração
até sufocar
faltando assim o ar.

Ficar cara a cara com a terra
rastejante na vida
de tocaia
o bote certeiro
a verdade mortal

A cura no próprio veneno
da morte à vida.

sábado, 1 de junho de 2013

Tenho um mundo de poesias infinitas
colorindo de rima meus dias
fazendo sonetos dos meus sonhos
versos de cotidiano
um poema livre a cada esquina me amando!


coisas de amar

Me concentra no teu gostar?
e se eu deixar de te amar?
outro amor inventar!!!
criar
eu e você no mar!
amar
ar
a
deixa a saudade embalar
largar
perdoar
no teu peito me deitar
e a luz apagar.

Só que sim

Rodava o pião no chão
e o menino girava lentamente
a Terra nunca parou
o menino acelerou
o pião caiu
de tanto rodar
a Terra continua até hoje
girando
girando
girando
algumas cabeças também rodam
outras rolam por aí
mas a roda já foi inventada
e insistem que não
só que sim.

Uma pitada de flor trago para seu dia antes que anoiteça e o imprevisto de te querer me deixa só antes de mais nada só.